O julgamento dos 17 ativistas angolanos acusados de prepararem uma rebelião foi novamente suspenso, esta segunda-feira, pela falta de comparência das dezenas de declarantes convocados, devendo ser retomado na terça-feira, informou à Lusa fonte da defesa.

Segundo Michel Francisco, um dos advogados de defesa, a decisão foi tomada pelo tribunal de Luanda depois de hoje não ter comparecido nenhum dos mais de 50 declarantes arrolados.

No tribunal, marcou presença o advogado David Mendes, notificado para prestar declarações, mas que apresentou requerimento para não o fazer, tendo em conta que assegura a defesa dos réus.