Os nacionalistas eurocéticos venceram as eleições legislativas de domingo na Polónia.

 

Os conservadores do partido Lei e Justiça (PiS), que se opõe à adesão ao euro e à entrada de migrantes no país, terão conseguido a maioria absoluta nas urnas, segundo as últimas projeções, atirando o Plataforma Cívica, partido de centro-direita que estava no poder há oito anos, para o segundo lugar.

 

A nova candidata ao lugar de chefe de Governo é Beata Szydlo, uma antropóloga de 52 anos, que defende a importância dos valores católicos e patrióticos e é relutante em aceitar todas as diretrizes que chegam de Bruxelas.

 

Pela primeira vez, desde o colapso do comunismo no país, em 1989, os partidos de esquerda ficaram fora do Parlamento, ao não conseguirem votos suficientes. Foi também, desde então, a maior vitória de um único partido, que pode assegurar  a maioria dos 460 deputados que compõem a câmara baixa.

 

No discurso de vitória, o líder do PiS, Jaroslaw Kaczynski, dedicou a vitória ao irmão gémeo, o antigo presidente Lech Kaczynski, que morreu em 2010 num acidente de aviação na Rússia.

 

De acordo com a última projeção, da IPSOS, o partido Lei e Justiça terá conseguido 37,7% dos votos, que se traduzem em 232 deputados, pouco mais de metade dos 460 com assento parlamentar, mas os suficientes para garantirem a maioria absoluta.

 

Os resultados oficiais serão conhecidos na terça-feira.