O funcionário malaio do supermercado de produtos judaicos da Porte de Vincennes, em Paris, que salvou mais de uma dezena de pessoas sequestradas por Amédy Coulibaly durante o ataque ao supermercado kosher, já recebeu a nacionalidade francesa. 

«Esta noite estou muito orgulhoso e emocionado», afirmou quando recebeu o passaporte das mãos de Manuel Valls.

Lassana Bathily, muçulmano, foi considerado um «herói» pelos franceses por ter escondido um grupo de 15 pessoas na arca frigorífica do estabelecimento e voltou para junto do sequestrador após desligar o equipamento da corrente, atitude salvou a vida daqueles reféns. 

A viver em França desde 2006, Lassana Bathily pediu a nacionalidade francesa em julho, segundo a AFP.