Uma trabalhadora de um lar de idosos em Chambery, nos Alpes franceses, é suspeita de envenenar mortalmente seis residentes.

Segundo a imprensa, a mulher, na casa dos 30 anos, não admitiu os homicídios, mas já disse que queria acabar com o sofrimento de alguns residentes do lar.

As suspeitas começaram quando o relatório da autópsia de uma mulher de 84 anos apontou vestígios de medicamentos não-prescritos. A mulher tinha, subitamente, entrado em coma, falecendo dois dias depois.

Outros casos suspeitos foram também questionados pela polícia. No total, seis residentes morreram no espaço de dois meses em circunstâncias estranhas.

Uma fonte da polícia disse que a mulher admitiu «querer aliviar o sofrimento de seis pessoas», e, alegadamente, confirmou que deu um cocktail de medicamentos a seis residentes, a maioria «idosos, ou muito idosos», que sofriam de «doenças crónicas».

A agência AFP reportou que a mulher seria levada a um juiz esta quinta-feira, para apurar que acusações poderá enfrentar.