O líder norte-coreano, Kim Jong-un, afirmou que o segundo teste com um míssil balístico intercontinental (ICBM), realizado na sexta-feira, coloca o território dos Estados Unidos ao alcance de um ataque de Pyongyang, segundo a agência norte-coreana KCNA.

Kim Jong-un afirmou que o teste demonstrou a capacidade da Coreia do Norte para disparar “em qualquer lugar, a qualquer hora”, de acordo com a agência estatal.

O líder declarou orgulhosamente que o teste confirma que o território continental dos Estados Unidos está dentro do nosso alcance de tiro”, acrescentou a agência noticiosa estatal.

Condenação internacional

À semelhança dos Estados Unidos e do Japão, cujo governo vai reunir o conselho de segurança do país, o governo sul-coreano condenou também duramente o novo lançamento de um míssil intercontinental (ICBM) realizado pela Coreia do Norte.

O governo de Seul alertou que o regime do vizinho do norte irá enfrentar “isolamento diplomático e pressão económica” se continuar a realizar testes de armamento.

O Governo condena duramente esta última provocação, que constitui uma clara violação das resoluções do Conselho de Segurança da ONU e representa uma grave ameaça para a paz e segurança, não apenas na região, mas em todo o planeta”, explicou o Ministério dos Negócios Estrangeiros sul-coreano em comunicado.

A Coreia do Norte devia ter em mente que o que vai obter com as suas contínuas provocações será apenas isolamento diplomático e pressão económica”, acrescenta o comunicado.