Kim Jong-un atacou Donald Trump e não foi com um míssil. O líder norte-coreano disparou sim um "palavrão", arremessando o dicionário ao presidente dos Estados Unidos e (também) aos norte-americanos.

Na reação ao discurso do "rocket man", que Trump proferiu na estreia nas Nações Unidas, o "homem-bala" de Pyongyang chamou "dotard" ao comandante supremo dos EUA. E é aqui que a coisa se complica.

Complicou-se, aliás, de tal forma, que a editora norte-americana Merriam-Webster se dedicou ao assunto, para explicar o significado de uma palavra inglesa aos americanos. 

"Kim Jong-un chamou a Trump um dotard mentalmente perturbado. As pesquisas por dotard dispararam", escreveu a editora no Twitter.

A Merriam-Webster, que explicou num link associado a definição de "dotard", recordou que o termo é antigo e foi "usado pela primeira vez no século XIV", significando, então, "imbecil".

Claro que Kim Jong-un não fez o seu discurso em inglês, apesar de poder ser útil, para evitar cenas ao melhor género de "lost in translation", que é como quem diz "perdido na tradução".

De acordo com uma jornalista sul-coreana retweetada pela Merriam-Webster, o líder do Norte terá chamado a Donald Trump "besta velha lunática" ("old beast lunatic), que foi traduzido pela agência de notícias norte-coreana (KCNA) como "dotard", que, no fundo, quer dizer tudo isto e muito mais.

Uma outra jornalista da agência Associated Press, que esteve nos escritórios da KCNA quando esteve destacada em Pyongyang, contou no Twitter que a agência norte-coreana usa dicionários de Coreano-Inglês muito antigos, daí a referência a uma palavra pouco utilizada no vocabulário dos norte-americanos. 

A explicação consensual para "dotard", que é a tradução do coreano "neukdari", é a referência a "pessoa velha".