Uma mulher que foi assediada num autocarro, em Londres, Inglaterra, está à procura do homem que a ajudou no momento, para lhe agradecer. Kaitlyn Regehr deixou-lhe uma mensagem no Facebook e no Instagram.

Kaitlyn Regehr estava a viajar no autocarro 207, no dia 6 de outubro, quando um homem a agarrou e começou a assediá-la.

De acordo com o seu testemunho, alguém viu e gritou “alto", o suficiente para que toda a gente no autocarro percebesse o que se estava a passar.

Agora, decidiu lançar uma campanha nas redes sociais para encontrar o bom samaritano, para lhe poder agradecer e “oferecer-lhe uma cerveja”.

“Obrigada por dizer alguma coisa quando aquele homem me agarrou. Obrigada por insistir que não era aceitável. Acima de tudo, obrigada por lhe ter perguntado sobre as mulheres da sua vida, a mãe e a irmã… Disse: ‘ela podia ser sua irmã. Ela é irmã de alguém’. E ao fazê-lo tornou-me uma pessoa. Tornou-nos uma comunidade”, pode ler-se na mensagem deixada, juntamente com uma foto em que Kaitlyn segura uma folha que diz “obrigada”.

“Agradeço-lhe não só porque me defendeu ou porque me fez sentir segura, mas também porque, na sua travessia para casa – nesta cidade grande e potencialmente anónima – humanizou o assédio. Não se foi embora. Tomou uma posição. Disse alguma coisa”.




Kaitlyn afirmou que já apresentou queixa na polícia e que, inicialmente, sentiu-se relutante em contar a história.

Contudo, a publicação parece ter sido uma escolha acertada e está a comover pessoas de todo o mundo. A mensagem já tem mais de 60.000 gostos e 32 mil partilhas.

Kaitlyn disse ainda que tem viajado no 207 todos os dias, mas que ainda não conseguiu encontrar o homem que procura.

“A publicação tem sido muito partilhada e as pessoas do meu bairro também estão a difundi-la – mas ainda não encontrei o bom samaritano”.