O número dois da organização das Nações Unidas para a Infância, a Unicef, demitiu-se do cargo esta quinta-feira, na sequência de queixas sobre "comportamento inapropriado" feitas por três mulheres com quem trabalhou antes na organização não governamental Save the Children.

A demissão do britânico de Justin Forsyth foi aceite prontamente por Henrietta Fore, diretora executiva da Unicef.

A diretora executiva da Henrietta Fore aceitou a renúncia de Justin Forsyth do seu cargo de diretor executivo adjunto da Unicef", refere um comunicado da organização.

O caso surge uma semana após a revelação de situações de abuso sexual de elementos da Oxfam, outra organização não governamental, numa missão humanitária do Haiti.

Culpas e desculpas

Na base da demissão de Justin Forsyth estão acusações de três funcionárias da Save The Children. O então líder dessa organização não governamental teria comentado os vestidos das empregadas mais jovens, a quem teria até enviado mensagens pouco apropriadas.

Segundo relata o jornal espanhol El País, na altura, Forsyth terá afirmado ter pedido desculpas "sem qualquer reserva". Assumiu que os comportamentos tinham sido errados, mas que tudo ficou sanado.

Não tenho nenhuma dúvida de que alguma cobertura mediática sobre mim não é para me fazer responsável das minhas ações (adequadamente), mas também para atingir a nossa causa e a ajuda humanitária", ainda afirmou Forsyth, no momento da demissão.