O Supremo Tribunal do Brasil ordenou na terça-feira a suspensão temporária do mandato como senador de Aécio Neves, o ex-candidato presidencial que liderou a oposição durante o Governo de Dilma Rousseff.

O tribunal determinou também que o deputado deve permanecer em casa todas as noites enquanto é investigado por corrupção.

A decisão foi aprovada por três votos a favor e dois contra, depois de um pedido da Procuradoria-Geral da República para determinar medidas preventivas que impeçam o senador de obstruir a investigação contra si ou fugir do país.

Aécio Neves é suspeito de corrupção ativa e obstrução à justiça.

A suspeita foi lançada por um dos proprietários da empresa JBS confessou que pagou subornos de mais de meio milhão de euros (dois milhões de reais) ao senador.