Chama-lhe “solução biológica”, porque o tempo vai, inevitavelmente, acabar com o problema. Segundo Efraim Zuroff, conhecido “caçador de nazis”, há centenas ou mesmo milhares de suspeitos de crimes de guerra durante o Holocausto que ainda podem ser julgados, mas tem de ser já, porque estão com cerca de 90 anos.

“Ainda há centenas, se não milhares, destes nazis, mas o problema é quais deles podem ser levados à Justiça?”, disse, esta quinta-feira, citado pela AFP.

Efraim Zuroff lamenta que continuem a existir países pouco interessados em julgar estes suspeitos. E dá um exemplo:

“Num país como a Ucrânia, por exemplo, há muitos ucranianos que estiveram envolvidos. E nunca iniciaram uma única investigação…”

O objetivo deste “caçador de nazis” é ainda conseguir que muitos destes suspeitos sejam julgados antes de morrerem, mas já não há muito tempo para esta “caça”.

“Está a chegar ao fim por razões óbvias”, afirmou, referindo-se à tal “solução biológica”.

Efraim Zuroff recorda os números recolhidos pelo Centro Simon Wiesenthal, que preside: desde 2001, 104 nazis foram condenados pelo seu papel no Holocausto.

O “caçador de nazis” espera um aumento dos julgamentos nos próximos anos, porque a lei alemã alargou as acusações a todos os que trabalharam em campos de concentração e não só a quem participou diretamente na morte dos cerca de seis milhões de judeus que morreram durante o Holocausto.

No entanto, Efraim Zuroff já sabe que a sua luta “falhou”.

“O número enorme de pessoas envolvidas tornou impossível que todos fossem levados à Justiça, por isso a questão é quantas serão levadas. Eu penso que cada uma é uma vitória.”