É um julgamento inédito. Pela primeira vez, a justiça do Vaticano vai julgar um caso de pedofilia que envolve um membro do clero.

O ex-arcebispo polaco de 66 anos é acusado de abuso sexual de menores e posse de material pornográfico. Os crimes remontam ao período entre 2008 e 2013 quando Josef Wesolowski era o embaixador do Vaticano na República Dominicana.

Na sequência da abertura do inquérito foi destituído de todos os cargos eclesiásticos e, por ordem do Papa Francisco, ficou em prisão domiciliária no vaticano durantes as investigações.

A primeira audiência é já no dia 11 de julho e se for condenado pode enfrentar uma pena de prisão entre os 6 e os 10 anos.