Washington Post

 

Com dupla nacionalidade – americana e iraniana – o repórter está a ser julgado à porta fechada e nem a família é permitida na sala de audiências. A BBC adianta que o jornalista e os colegas estão a ser julgados num tribunal habitualmente reservado a presos políticos.

 

Segundo a Reuters, os três jornalistas levados esta terça-feira a julgamento têm dupla nacionalidade – americana e iraniana. Estiveram duas horas perante o juiz, mas nada foi adiantado sobre o teor da audiência.

 

Jason Rezaian está detido há dez meses. Em julho de 2014, Rezaian foi detido em conjunto com a sua mulher entretanto libertada. Um outro jornalista, a agência IRNA, também foi detido na altura

 

O jornal Washington Post, no seu editorial de 25 de maio, revela a sua indignação:

 

“Os vergonhosos atos de injustiça contra o correspondente do Washington Post, Jason Rezaian, não têm fim. Agora sabemos que o seu julgamento vai ser fechado ao mundo e, como tal, fechado ao escrutínio que merece verdadeiramente”.

 

 

Durante estes meses de detenção, Rezaian tem sido apoiado por vários grupos de defesa dos direitos dos jornalistas e de liberdade de imprensa. O próprio presidente dos Estados Unidos fez pressão sobre Teerão, comentando que as acusações sobre o seu também cidadão eram “vagas”. Já o ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano admitiu no mês passado que os Estados Unidos “poder-se-ão ter aproveitado” de Jason Rezaian.