Jordan Graham, a mulher acusada de atirar o seu marido de um penhasco de um parque no estado de Montana, EUA, aceitou as acusações e declarou-se culpada de homicídio em segundo grau.

A pena terá, à partida, uma duração mínima de 19 anos e meio de cadeia, mas pode estender-se à sentença máxima.

Como Jordan admitiu o crime, esta última parece improvável, pois o acordo pela admissão de culpa deitou por terra a acusação de homicídio de primeiro grau.

«Foi um ato irresponsável (...) eu só empurrei», disse Graham no tribunal, citada pela CNN.

O casal estava casado há uma semana e decidiu fazer uma caminhada pelo parque. Jordan garante que o marido a agarrou e que tinha a certeza que a ia atacar. Na raiva do momento acabou, por empurrar o recém-marido de um penhasco.