O sueco mantido refém pela Al-Qaeda, no Mali, desde 2011, foi libertado e já está a caminho de casa, anunciou, esta segunda-feira, o Ministério das Negócios Estrangeiros da Suécia, através de um comunicado. 

É com grande prazer que posso confirmar que Johan Gustafsson foi libertado e pode regressar à Suécia", disse a ministra dos Negócios Estrangeiros, Margot Wallstrom.

O comunicado fala da cooperação entre o Ministério dos Negócios Estrangeiros, a polícia sueca e autoridades estrangeiras, mas sem entrar em detalhes quanto aos termos da libertação.

Em declarações à Rádio da Suécia, a emissora pública sueca, a ministra disse já ter falado com Johan Gustafsson, que está "muito emocionado com tudo o que está a acontecer".

Peço que todos mostrem respeito por Johan e pela sua família e que os deixem decidir quando quiserem falar", pediu a ministra.

Entretanto, o jornal sueco Expressen informou que Johan Gustafsson já estava num avião com destino à Suécia. 

Johan Gustafsson, de 42 anos, foi sequestrado em Timbuktu, no norte do Mali, em novembro de 2011, juntamente com o cidadão sul-africano Stephen McGowan e o holandês Sjaak Rijke. A Al-Qaeda do Magrebe Islâmico (AQIM) acabou por reinvidicar a responsabilidade pelos sequestros.

Desde então, foram divulgados vídeos dos reféns mantidos em cativeiro pela AQIM, que exigia dinheiro pela libertação.