Israel quer homenagear o presidente dos EUA com uma estação de comboios com o seu nome. A ideia é do ministro dos Transportes israelita que, ao defender a extensão da linha ferroviária de alta velocidade até à zona de Kotel, Jerusalém, quer construir uma estação denominada "Donald Trump".

O plano do ministro Yisrael Katz prevê três quilómetros de linha subterrânea e a edificação de duas estações sob a Cidade Velha de Jerusalém, junto ao Muro de Kotel, local de oração dos judeus.

Para além da obra, outra novidade é o então o nome: propôs que a estação venha a chamar-se Donald Trump, por este ter reconhecido Jerusalém como capital de Israel.

O projeto vai custar mais de 700 milhões de dólares e vai demorar quatro anos a construir (caso venha a ser aprovado), segundo o porta-voz do ministro dos Transportes, Avner Ovadia,.

A Associated Press sublinha que é provável que o projeto venha a ser contestado pela “comunidade internacional”, que não reconhece a soberania de Israel sobre Jerusalém Ocidental.

Entretanto, a construção da linha ferroviária de alta velocidade entre Telavive e Jerusalém deve estar concluída durante a primavera de 2018.

Os EUA vetaram, na semana passada, uma resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas a condenar o reconhecimento de Jerusalém como a capital do estado de Israel.