O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, condenou esta terça-feira o ataque «brutal e desumano» contra o jornal satírico «Charlie Hebdo», em Paris, que matou 12 pessoas, considerando-o um «ato intolerável».

«Estou profundamente chocado com o ataque brutal e desumano perpetrado contra as instalações do Charlie Hebdo», disse Juncker, num comunicado divulgado em Bruxelas.


O chefe do executivo comunitário salientou que o atentado é «um ato intolerável, uma barbárie que nos interpela a todos enquanto seres humanos e europeus», enviando condolências às famílias das vítimas e manifestando solidariedade para com a França.