O vice-primeiro-ministro japonês, Taro Aso, retirou esta quinta-feira as declarações que proferiu esta semana que sugeriam que o seu governo se inspirasse na Alemanha nazi para reformar a sua Constituição.

Aso proferiu estas declarações durante um debate organizado por um círculo de reflexão conservador sobre uma reforma da Constituição pacifista imposta ao Japão em 1947 pelos Estados Unidos, que ocuparam o país depois da II Guerra Mundial.

O centro Simon Wiesenthal, com sede nos Estados Unidos, apelou a Aso para clarificar as suas declarações, considerando que «as únicas lições que se poderá retirar do regime nazi são coisas a não fazer», noticia a Lusa.