Investigadores detetaram elevados níveis de radiação nos sedimentos acumulados no fundo e nas margens dos rios da prefeitura japonesa de Fukushima, revela um relatório publicado hoje pelo Governo regional.

O estudo analisou, entre janeiro e fevereiro, a densidade de materiais radioativos acumulados em 72 rios da província do nordeste do Japão para comprovar a situação cinco anos depois do acidente nuclear da central de Fukushima, desencadeado por um sismo seguido de um tsunami, a 11 de março de 2011.

Os investigadores detetaram altas concentrações de radiação em rios como o Maeda, na localidade de Futaba, próxima da central atómica ou no rio Hiru na cidade de Fukushima.