Um milionário nova-iorquino tomou a decisão que a maioria das pessoas não consideraria se tivesse uma conta bancária com muitos zeros e uma grande casa cheia de peças caras. James Altucher é o protagonista de uma aventura que iniciou em abril, quando colocou 15 objetos essenciais num saco desportivo, doando o que sobrou ou, simplesmente, deitando fora. 

Apesar de ter iniciado esta caminhada em abril, as atenções só agora se viraram para James Altucher, depois de a revista Forbes ter feito um trabalho com aqueles que considerou ser "o homem mais interessante do mundo". 

Se não sabe nada sobre James, saiba que ele é uma máquina de ideias. Escreve dez ideias por dia e o seu sucesso pessoal e profissional deve-se à sua capacidade para gerar ideias para ele próprio e para os outros”, escreveu Brian Rashid, cronista da Forbes.

James Altucher é um dos especialistas em autoajuda mais conhecidos de Nova Iorque e nem ele próprio consegue definir a sua profissão, pois, para além dos inúmeros livros que já publicou, é também “comerciante, investidor e empresário”. Todas estas atividades trouxeram-lhe um objeto de valor, mas não de felicidade.

O dinheiro esteve sempre lado-a-lado com o sucesso de James, embora algumas extravagâncias e maus investimentos o tenham levado à falência por duas vezes. Agora que está num momento “confortável”, economicamente falando, o milionário tomou uma decisão que surpreendeu os seus seguidores.

Habituado a criar listas para os outros, como "10 razões para deixar o trabalho" ou "os sete benefícios de escrever 10 ideias por dia", fez uma lista das coisas que, na sua opinião, são indispensáveis e colocou-as numa mala. Livrou-se de tudo o resto.

Três camisas, três calças, dois pares de cuecas, meias e sapatos, uma bolsa de plástico com 4 mil dólares (3.559 euros), um computador portátil e um tablet. Estas foram as escolhas do ex-milionário que, depois de doar todo o património, dorme em casas de amigos ou em quartos arrendados ao dia.

A vida trouxe-me esta proposta, por isso aventuro-me na selva desta nova ilha”, conta no seu blogue.  

O que se destaca na lista de Altucher é a ausência de objetos com valor pessoal, como fotos de familiares ou outras lembranças.

O protagonista desta história continua a dar cartas nas famosas "listas", mas agora centra-se na simplicidade que a vida deve tomar. Não julgando a maioria da sociedade, Altucher defende apenas que "menos é mais".