Uma réplica voltou a causar o pânico esta tarde em Amatrice. A réplica, de magnitude 4.3 na escala de Richter, verificou-se às 14:36 (hora local) desta quinta-feira. Alguns edifícios que já estavam danificados terão colapsado e o pavilhão desportivo foi evacuado. 

Segundo a imprensa italiana, a réplica, que é a mais forte desde a manhã de quarta-feira, levou ao colapso de alguns edifícios que já tinham sido danificados. Há ambulâncias a dirigirem-se para os locais mais afetados.

Por precaução, o pavilhão desportivo, que está a ser usado pelas autoridades para armazenarem comida e outros bens de primeira necessidade, foi evacuado.

Desde o sismo principal, que ocorreu na madrugada de quarta-feira e que teve uma magnitude de 6.2 na escala de Richter, já foram registadas mais de 400 réplicas. 

O instituto geológico italiano continua, de resto, a detetar um nível muito elevado de atividade sísmica na região.

O forte sismo que sacudiu o centro de Itália na quarta-feira já fez 241 mortos. Localidades como Amatrice, Accumoli e Arquata del Tronto foram arrasadas. Operacionais e voluntários continuam a reunir esforços para encontrar sobreviventes soterrados nos escombros.

No meio da tragédia, há "milagres" que estão a comover o país. Como o de Giulia, uma menina de dez anos que esteve mais de 17 horas soterrada e que foi resgatada com vida.