Giuseppe Giordano, um italiano de 70 anos, é visto todos os dias ao pôr do sol no mesmo sítio e com a mesma companhia: uma fotografia da mulher que morreu em 2011. O homem senta-se a contemplar uma praia onde passou os primeiros tempos de namoro com Ida, a jovem com quem se casou em 1969 e que perdeu a luta contra uma doença, após 42 anos de vida em conjunto.

A história do italiano Giuseppe é contada pelo jornal Metro e foi revelada pelo dono de uma pizzaria na cidade de Gaeta, em Itália, que o via sentado no mesmo banco todos os dias. Giorgia Moffa partilhou, no Facebook, uma fotografia do ritual de Giuseppe. 

Na publicação pode ler-se: "Há alguns dias eu não conhecia esta pessoa fantástica. Apenas sei que isto foi de certeza um grande amor. Vi-o a chorar e pensei que homens como este já não nascem. Um grande abraço querido amigo, és um grande homem".

Giuseppe Giordano encontrou em Giorgia Moffa um bom ouvinte e explicou-lhe o motivo pelo qual leva a fotografia da mulher consigo: "Como símbolo de um amor que não acaba".

Ele não consegue viver sem ela e leva a fotografia para todo o lado. Mantém a moldura por perto como se fosse a coisa mais preciosa", explicou Giorgia Moffa, em declarações ao Metro.

Giuseppe e Ida conheceram-se em 1969, quando tinham 16 e 17 anos, respetivamente. Tiveram três filhos e viveram juntos até 2011, quando Ida morreu devido a uma doença.