Um tribunal militar israelita condenou esta terça-feira um homem palestiniano à prisão perpétua pela morte de três jovens israelitas. Hussam Qawasmeh, membro do Hamas, está ainda obrigado a pagar uma indemnização às famílias das vítimas, refere a BBC.
 
O tribunal entendeu que o homem, de 40 anos e preso desde julho, era responsável pelos homicídios, matando os jovens apenas por serem judeus. Qawasmeh confessou ter ajudado a enterrar os corpos e a destruir as provas.
 
Outros dois suspeitos das mortes de Naftali Frenkel, Gilad Shaar e Eyal Yifrach  foram abatidos pelas forças israelitas em setembro.
 
Os três rapazes – entre os 16 e os 19 anos - desapareceram no caminho para casa, entre Jerusalém e Hebron a 12 de junho. A descoberta dos corpos, três semanas depois, gerou uma onda de violência entre Israel e os palestinianos na Faixa de Gaza que durou 50 dias.