O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, considera que deixar o Irão «armado» é mais perigoso e uma ameaça mundial pior que o Estado Islâmico (EI).


Netanyahu diz que, ainda que seja urgente derrotar os militantes do EI, é necessário que o poder nuclear do Irão seja também desmantelado.

«Não se iludam, o Estado Islâmico tem de ser derrotado. Mas deixar o Irão como uma próxima potência nuclear é vencer a batalha e perder a guerra», afirmou Netanyahu à Assembleia Geral das Nações Unidas, segundo a Reuters.

«Quando o Irão produzir bombas atómicas, todos os encantos e sorrisos vão desaparecer subitamente. É nessa altura que os aiatolas vão mostrar a sua verdadeira face e libertar o seu fanatismo sobre todo o mundo», continuou.   

«As capacidades nucleares militares do Irão devem ser desmanteladas», disse, acrescentado que a recente aproximação do Irão ao ocidente serve apenas para tentar retirar as sanções internacionais impostas e «remover os obstáculos do caminho para a bomba [nuclear]».

«Não se deixem enganar pela aproximação do Irão, que tem um único objetivo: levantar as sanções e obstáculos do caminho para a bomba. (…) E no futuro, numa data à sua escola, o Irão, o regime mais perigoso do mundo, da região mais perigosa do mundo, vai conseguir a arma mais perigosa do mundo», concluiu Netanyahu.