Notícia atualizada às 16:00

Pelo menos 15 pessoas morreram e 200 ficaram feridas quando o exército israelita bombardeou uma escola da ONU em Gaza, esta quinta-feira, segundo revela o ministro da Saúde de Gaza.

Uma rádio israelita adiantou que a maioria das vítimas mortais são crianças.

O edifício servia de abrigo aos refugiados palestinianos e, de acordo com o diretor de um hospital local, há várias unidades hospitalares a receber os feridos deste bombardeamento.

Um jornalista da Reuters faz um relato sangrento do local e as imagens do hospital mostram várias crianças feridas.

A Agência da Organização das Nações Unidas para os Refugiados Palestinianos (UNRWA, na sigla em Inglês) garante que mais de 140 mil palestinianos já deixaram as suas casas nas últimas duas semanas para fugir ao conflito com Israel. Muitos deles procuram refúgio nestes edifícios da ONU.

Um fotógrafo da AFP constatou a presença de um bebé, de um ano, e da sua mãe na morgue do hospital de Jabaliya, perto de Beit Hanoun.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, declarou-se «consternado» por este ataque, que fez «numerosos mortos, entre os quais mulheres e crianças, bem como empregados da ONU».

Mais tarde, um bombardeamento aéreo matou sete pessoas, «na sua maioria crianças», entre as cidades de Rafah e Khan Younès, no sul do território, segundo Qoudra.

Ao fim da tarde, o bombardeamento de uma zona próxima de um hospital a leste da cidade de Gaza matou uma criança doente e causou 30 feridos, enquanto quatro outras pessoas faleceram depois de um ataque aéreo em Khan Younès.

Estas vítimas elevam para 98 o número de mortos só no dia de hoje, na Faixa de Gaza, e para 798 mortos e mais de cinco mil feridos desde o início da ofensiva israelita na Faixa de Gaza, segundo o balanço feito por Qoudra.

Este balanço não inclui os 10 militantes palestinianos mortos depois de se terem infiltrado em Israel, depois do início do ataque israelita, em 8 de julho.

Desde esta data, foram mortos 32 soldados israelitas, bem como dois civis israelitas e um tailandês.