O Congresso dos EUA não deve impor mais sanções ao Irão, sob pena de fazer fracassar as negociações internacionais sobre o seu programa nuclear, defendeu a conselheira presidencial para a segurança nacional, Susan Rice.

«O Congresso desempenhou um papel extremamente importante, ao ajudar-nos a montar as sanções contra o Irão. Mas agora não deve prejudicar [as negociações]. Sanções suplementares (…) durante as negociações fariam voar em estilhaços as discussões», preveniu Rice, perante um poderoso grupo de pressão judaico, que tinha recebido antes o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, que é hostil ao acordo que se negoceia entre Teerão e um conjunto de potências.

Rice insistiu no seu ponto, acentuando que um Irão com uma bomba nuclear ameaçaria tanto Israel como os EUA.

«Dado no seu apoio ao terrorismo, o risco de uma corrida a armas nucleares na região e o perigo para a totalidade do regime global de não-proliferação, um Irão com uma arma nuclear seria não apenas uma ameaça para Israel, seria também uma ameaça inaceitável para os EUA», disse Susan Rice.