Um sismo que atingiu a magnitude de 4,0 na escala de Richter abalou a ilha de Ísquia, na baía de Nápoles, na noite desta segunda-feira, cerca das 21:00 locais (20:00 em Lisboa), causando, pelo menos, a morte de duas pessoas.

À agência noticiosa italiana ANSA, fonte dos Carabinieri adiantou que o abalo causou uma só morte, cerca de 25 feridos, dos quais, dois com gravidade e três pessoas desaparecidas.

Anteriormente, sem confirmação oficial, jornais italianos como o La Repubblica e Corriere della Sera adiantavam haver uma segunda morte, que entretanto não foi confirmada.

O jornal italiano La Repubblica dá ainda conta, na sua página na internet, de que "uma família de sete pessoas ficou presa após colapso da sua casa".

Um homem e uma mulher foram retirados vivos, uma idosa foi salva, mas há três crianças que ainda estão desaparecidas, uma das quais tem sete meses de idade. Há ainda uma outra mulher desaparecida", escreve o La Repubblica.

Até ao momento, há nota da morte de uma idosa atingida por escombros de uma igreja na cidade de Casamicciola, situação confirmada à agência ANSA pela polícia.

Prédios ruiram

Vários edifícios na ilha ruiram com o terramoto. Segundo a agência noticiosa Reuters, seis desmoronaram na cidade de Casamicciola, capital da ilha de origem vulcânica. Residentes e turistas fugiram pelas ruas no momento do sismo, que ocorreu a uma profundidade de dez qulómetros.

O Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia italiano anunciou que o movimento sísmico se registou às 20:57 locais (19:57 em Lisboa) e teve epicentro a 10 quilómetros de profundidade. Inicialmente, a magnitude anunciada foi de 3,6, sendo depois corrigida para 4,0 graus.

Através das redes da internet, surgem as primeiras imagens do abalo em Ischia.

One dead and 20 injured after earthquake hits Ischia near Sorrento in Italy. I went there in May - can't believe it!https://t.co/VrFJnRDOaY pic.twitter.com/rrKHqCvhlP

Hospital evacuado

O hospital da ilha teve de ser evacuado, segundo informações adiantadas pela agência Reuters.

Roberto Allocca, um médico do hospital local afirmou à televisão Sky TG4 que, pelo menos, 20 pessoas tiveram de ser tratadas de pequenos ferimentos, fora da unidade de saúde.

Elementos da proteção civil italiana estão já no local e sabe-se que reforços estão a chegar à ilha de Ísquia.