logotipo tvi24

Prostitutas suecas querem pagar impostos

Para poderem beneficiar do generoso sistema de previdência social sueco. E vão pagar recibos aos clientes

Por: Redacção / - LM    |   2008-09-17 21:24

Na Suécia há cada vez mais prostitutas a apresentarem declaração de IRS. Num país onde a carga tributária está entre as mais altas do mundo, as prostitutas querem pagar impostos para poderem também beneficiar do generoso sistema de previdência social sueco.

Segundo o jornal sueco Göteborgs-Posten, esta subida tem sido registada nos últimos três anos. «Este ano, já conversei com diversas mulheres que me pediram conselhos sobre como preencher a declaração de impostos», disse ao jornal Pia Blank Thörnroos, consultora da sede do Skatteverket (sistema fiscal) na capital sueca.

Esta consultora tem explicado às prostitutes que querem regularizar a sua situação fiscal que devem manter a contabilidade em dia e, inclusivamente, passar recibos, ainda que os nomes dos clientes não tenham de constar nos documentos.

Os rendimentos declarados são taxados como atividades comerciais e dão direito a subsídio de maternidade, baixas remuneradas por motivo de doença e reforma.

Desde 1982, a prostituição é considerada uma atividade comercial na Suécia, e, portanto, sujeita a taxação pelo fisco. Na Suécia é perfeitamente legal vender sexo, mas não pagar por sexo, o que significa que os homens que pagam por sexo com uma prostituta, proxenetas e donos de bordéis estão sujeitos a multas ou a penas de até seis meses de prisão, além da humilhação decorrente da exposição pública. Por outro lado, a lei não prevê nenhuma penalização para as prostitutas.

Partilhar
EM BAIXO: Prostituição
Prostituição

Irão compromete-se com acordo sobre programa nuclear
Ministro dos Negócios Estrangeiros iraniano esteve em conversações com a alta representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros
Acessórios das pulseiras de elásticos com material cancerígeno
Cadeia de lojas britânica reagiu de imediato às análises laboratoriais que detetaram ftalatos numa dose superior à permitida por lei e retiraram os produtos do mercado
ONU vai enviar equipa para investigar crimes do Estado Islâmico
Merkel vai enviar armas para os combatentes curdos no Iraque
EM MANCHETE
PGR explica equipa especial para investigar o caso BES
Joana Marques Vidal afirmou à TVI ser necessário ter uma «visão integrada e adequada» do processo
Governo deixa cair aumento da TSU e do IVA para 2015
Nova avaria em avião da TAP