O Iraque vive dias de guerra aberta contra o grupo jihadista que acaba de tomar o controlo de Mossul.

O domínio do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (ISIS) da segunda maior cidade do país levou esta terça-feira o primeiro-ministro, Nouri al-Maliki, a fazer um apelo ao Parlamento para que seja declarado o Estado de emergência.

A insurgência sunita dura há muitos meses e recebeu reforços de radicais que querem criar um estado islâmico junto à fronteira com a Síria.

Há intensas batalhas em redor de Ramadi, Falluja, por toda a província de Ambar, mas agora o ISIS controla Mossul, a norte.

A derrota do exército iraquiano deu-se depois de centenas de homens armados terem atacado o edifício do governo provincial. Há milhares de pessoas em fuga.

Perto de 800 pessoas morreram no Iraque, apenas no mês de maio, por causa da violência sectária.