A cidade iraquiana de Ramadi foi "libertada" do autoproclamado Estado Islâmico, anunciou esta segunda-feira o exército iraquiano.

O porta-voz militar Yahya Rasul disse que as forças iraquianas conseguiram uma vitória "épica". O mesmo porta-voz acrescentou que as forças iraquianas hastearam a bandeira do país no telhado do complexo do Governo na cidade.

"Sim, a cidade de Ramadi foi libertada. As forças iraquianas de combate ao terrorismo ergueram a bandeira iraquiana no complexo do Governo em Anbar", disse o porta-voz militar, citado pela Reuters.

 
Forças do Governo iraquiano, apoiadas por ataques aéreos da coligação liderada pelos Estados Unidos da América, lutaram durante semanas para retomar a cidade árabe sunita.

Ramadi, cidade que está situada a 100 quilómetros a oeste de Bagdad, tinha sido tomada pelo Estado Islâmico em maio, numa embaraçosa derrota para o exército iraquiano.

De acordo com a inteligência iraquiana, cerca de 250 a 300 jihadistas estavam a defender os bairros centrais da cidade.
 
Ramadi, capital de Anbar, a maior província do Iraque, divide a fronteira com a Síria, a Jordânia e a Arábia Saudita.

Uma vitória nesta cidade pode permitir melhorar a imagem do exército iraquiano, que recebeu muitas críticas depois de perder amplas faixas de território para os jihadistas em junho de 2014.

Todos os combatentes do Estado Islâmico deixaram no domingo um complexo governamental estratégico da cidade de Ramadi, declarou um porta-voz das forças de elite antiterroristas, citado pela Associated Press.

As batalhas pelo edifício governamental mataram nas últimas horas vários combatentes jihadistas e integrantes das forças iraquianas.