O líder do Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Abu Bakr al-Baghdadi, designado pelo grupo como «califa», pediu a todos os muçulmanos que lhe obedeçam, numa mensagem de vídeo divulgada este sábado.

O líder «jihadista» sunita, que até à data preferia resguardar a imagem, lançou um apelo durante uma oração de sexta-feira (dia sagrado dos muçulmanos) em Mossul, a segunda maior cidade do Iraque, ocupada pelos insurgentes após a ofensiva liderada pelo grupo radical Estado Islâmico, anteriormente designado como Estado Islâmico do Iraque e do Levante.

Desde 9 de junho que o Iraque se confronta com uma ofensiva de insurgentes sunitas, que controlam vastas áreas no norte e oeste do país. A ofensiva, que já se alastrou à Síria, já provocou mais de dois mil mortos e obrigou centenas de milhares a abandonarem as casas.

«Eu sou Wali (líder) designado para vos liderar, mas não sou melhor que vocês. Se acham que tenho razão, ajudem-me, e se pensam que estou errado, aconselhem-me e coloquem-me no caminho certo», disse Abu Bakr al-Baghdadi, no vídeo divulgado em sites «jihadistas». «Obedeçam-me enquanto eu obedecer a Deus», acrescentou o líder.

A agência francesa AFP refere que não foi possível ainda verificar a autenticidade do vídeo.

A 29 de junho, os «jihadistas», em combate no Iraque e na Síria, anunciaram o estabelecimento de um «califado», referindo-se ao sistema de governo islâmico que desapareceu há quase 100 anos com a queda do Império Otomano.

Poucos dias depois, Abu Bakr al-Baghdadi, numa mensagem de áudio, apelou aos muçulmanos para imigrarem para o «califado», afirmando que tal decisão era um «dever».