O soldado Bradley Manning, responsável pela fuga de informação de milhares de documentos confidenciais para o portal Wikileaks, foi condenado a 35 anos de prisão esta quarta-feira, informa a Reuters.

Bradley Manning, de 25 anos, foi ainda expulso do exército.

A pena de 35 anos será reduzida devido ao tempo já cumprido. O soldado só poderá tentar sair em liberdade condicional quando cumprir pelo menos um terço da sentença.

A juíza Denise Lind já o tinha considerado culpado de 20 crimes, incluindo espionagem e roubo, num total de pena que podia ir até aos 90 anos de prisão.

Manning, que era analista de dados no Iraque, foi julgado e considerado culpado de violar leis sobre segurança nacional dos Estados Unidos, roubo de informação governamental e abuso de funções, mas foi absolvido da acusação de «ajuda ao inimigo».

Em 2010, Bradley Manning entregou mais de 700 mil documentos confidenciais ao portal de Julian Assange. As informações chocaram a comunidade internacional sobretudo graças a um vídeo de um helicóptero norte-americano a disparar sobre civis em Bagdade.