Pelo menos 167 cópias do livro «Diário de Anne Frank» foram vandalizadas em várias bibliotecas públicas em Suginami e Nakano, Tóquio. Foram arrancadas e rasgadas várias páginas.

De acordo com as autoridades japonesas, desde janeiro deste ano já foram vandalizados 265 livros em pelo menos 31 bibliotecas públicas nos arredores de Tóquio.

O «Diário de Anne Frank» conta o dia-a-dia de uma menina judia durante a II Guerra Mundial e já foi lido por milhões de pessoas em todo o mundo. Anne Frank e a família esconderam-se dos nazis durante 25 meses num sótão de uma casa em Amesterdão.

O centro Simon Wiesenthal, uma organização internacional dos direitos humanos sediado em Los Angeles, apelou ao esforço das autoridades japonesas para identificarem os culpados «desta campanha de ódio».

Para além do «Diário de Anne Frank», foram também vandalizados outros livros sobre os campos de concentração em Auschwitz.