O Papa pediu aos fiéis para não serem só cristãos «às vezes» e dizerem sempre «sim» a Deus, tal como Maria, durante a missa deste domingo no Vaticano, celebrada perante a imagem da Capelinha das Aparições de Fátima, noticia a agência Lusa.

A missa levou dezenas de milhares de pessoas à Praça de São Pedro e conclui a Jornada Mariana do Ano da Fé, culminando com a consagração do mundo ao Sagrado Coração de Maria, perante a imagem de Nossa Senhora de Fátima, transportada desde a Capela das Aparições, na Cova da Iria, até ao Vaticano para esta cerimónia.

«Sou um cristão às vezes ou sempre um cristão? A cultura do provisório, do relativo, entra também na vida da fé. Deus pede que sejamos fiéis todos os dias, nas coisas ordinárias», disse.

Durante a homilia, Francisco lamentou que «a cultura do provisório» tenha penetrado «na vivência da fé» e pediu aos participantes que não sigam a cultura do que é provisório e que não desistam dos compromissos ao primeiro problema, exemplificando com o matrimónio.

No seu sermão, dedicado à fidelidade de Maria a Cristo, o papa argentino destacou como é fácil dizer «sim», mas como depois não se consegue repetir esse «sim» diariamente.

O Papa aconselhou os membros das famílias a dizerem «com licença, desculpa e obrigado» uns aos outros, porque muitas vezes as pessoas esquecem-se de agradecer a quem está mais perto e as acompanha na vida.

«Muitas vezes damos tudo por contado. E assim fazemos também com Deus», acrescentou.

Francisco evocou a figura de Maria para exortar ainda os fiéis a deixarem-se surpreender e a deixarem Deus entrar nas suas vidas, a serem fiéis a Deus e a aceitarem a força de Deus.

De acordo com o sumo pontífice católico, Maria também ficou surpreendida quando Deus a escolheu «precisamente a ela, jovem simples da Nazaré», para mãe de Jesus Cristo, mas seguiu os projetos que Deus lhe reservara e foi fiel até à crucificação de seu filho.

«Estão aqui hoje muitas mães. Pensai até onde chegou a fidelidade de Maria a Deus: ver o seu único Filho na Cruz», salientou.

É a terceira vez que a imagem da capela das aparições está no Vaticano.

A imagem de Nossa Senhora de Fátima só sai da capelinha das Aparições, em Fátima, em ocasiões muito especiais, noticia a agência católica Ecclesia.

A imagem foi enviada ao Vaticano a pedido do papa Bento XVI, reafirmado pelo atual pontífice.

Durante a oração do Angelus, perante os fiéis, também na Praça de São Pedro, o papa recordou a beatificação, hoje, em Terragona (Espanha) de 522 espanhóis «assassinados devido à sua fé durante a Guerra Civil espanhola» e pediu que o Seu «valente testemunho» e a «sua intercessão» sirva para libertar o mundo da violência.