O último membro da equipa de pilotagem do Enola Gay, famoso por ter lançado a primeira bomba atómica sobre Hiroshima, em agosto de 1945, morreu na segunda-feira com 93 anos, noticiaram esta quarta-feira os média norte-americanos.

Theodore van Kirk, conhecido como «o holandês», morreu na segunda-feira de causas naturais no lar de Stone Mountain, na Georgia, sul dos EUA, noticiou a cadeia televisiva NBC.

Van Kirk, que na altura do bombardeamento tinha 24 anos, era o comandante do Enola Gay, um bombardeiro B-29, e um dos 12 membros da equipa. O avião largou a primeira bomba nuclear, apelidada «Little Boy», (Pequeno Rapaz, em português) sobre Hiroshima às 08:45 locais, a 06 de agosto de 1945, provocando a morte de 145.000 pessoas, a maioria da população da cidade, situada no sudoeste da Ilha Honshu, a maior do arquipélago japonês.

Foi a primeira vez que uma bomba atómica foi utilizada durante uma guerra. A segunda foi largada três dias mais tarde, a 09 de agosto, sobre Nagasaki, matando 70.000 pessoas.

«O avião deu um salto e fez um barulho de metal a dobrar» após a explosão, afirmou van Kirk ao New York Times, na ocasião do 50.º aniversário do bombardeamento.

«Imediatamente a seguir, virámo-nos para ver a nuvem que crescia sobre a cidade de Hiroshima», disse.

«Toda a cidade estava coberta de fumo, poeira e sujidade. Parecia um caldeirão de alcatrão negro a ferver. Conseguíamos ver alguns incêndios na periferia da cidade», contou van Kirk.

O navegador do Enola Gay relatou sentir um «sentimento de alívio» pois ele tinha a convicção de que essa bomba iria pôr fim à segunda guerra mundial.

A 15 de agosto o Japão rendeu-se.

Apesar da controvérsia sobre o bombardeamento que matou instantaneamente dezenas de milhares de civis e impôs sobre outros milhares as consequências da radiação, van Kirk defendeu a operação num artigo na revista Time, em 2005.

«Não se tratava de voltar à base ou largar (a bomba) sobre a cidade, matando os habitantes», escreveu van Kirk.

«Tratava-se de destruir os objetivos militares na cidade de Hiroshima, o mais importante quartel-general do exército encarregue de defender o Japão em caso de invasão. Tinha que ser destruído», sublinhou o aviador.

O funeral está previsto para 05 de agosto, na sua cidade natal de Northumberland, na Pensilvânia, no este dos EUA. As cerimónias serão realizadas na intimidade da família e amigos, segundo a cadeia televisiva CBS.