Três homens detidos na segunda-feira no âmbito da descoberta de uma bomba numa carrinha estacionada no aeroporto da capital filipina planeavam um ataque à embaixada chinesa e a um dos maiores centros comerciais de Manila, informaram as autoridades eta terça-feira.

Os indivíduos planeavam uma série de ataques, aparentemente para publicitar o seu sentimento anti China, disse aos jornalistas a Secretária da Justiça, Leila de Lima.

«Eles dizem-se defensores do povo filipino e consideram inimigos a China e os filipinos de origem chinesa como a classe oligarca responsável por práticas de negócios monopolistas e exploração mineira ilegal», afirmou.

Esta informação constitui uma atualização da notícia divulgada na segunda. Na altura, quatro pessoas foram detidas na sequência da descoberta de uma bomba numa carrinha estacionada no aeroporto internacional de Manila.

O veículo com o engenho explosivo foi descoberto às 01:45 locais (18:45 de domingo em Lisboa), segundo o gabinete nacional de investigação.