A menina australiana de três anos que desapareceu, na quinta-feira de manhã, da casa dos pais em Childers, foi encontrada viva e sem sinais de ferimentos. O desaparecimento levou a imprensa local e a britânica a compararem o caso ao de Madeleine McCann no Algarve. A criança está agora a ser examinada num hospital.

De acordo com o MailOnline, Chloe Campbell foi encontrada cerca de 42 horas após o desaparecimento. A Sky News refere que a menina voltou para a casa por volta da 01:00 de sábado (16:00 desta sexta-feira, em Portugal). A criança sumiu na quinta-feira enquanto dormia na sala de estar em casa, em Childers, a norte de Brisbane.

Quando o alerta foi dado, as autoridades lançaram uma mega operação de buscas, ativando todos os meios disponíveis para localizar a menina. Foram emitidos alertas para os aeroportos e portos locais e foram criados bloqueios de estradas, com helicópteros a apoiarem as operações.



De acordo com a imprensa internacional, os pais viveram «o pior pesadelo» nas últimas horas, lançando um apelo a quem a tivesse raptado: «Se teve coragem de a levar, tenha agora a coragem de a trazer de volta», afirmou entre lágrimas a mãe, Tammy O'Donnell, visivelmente devastada pela ocorrência.

Quando os pais notaram o desaparecimento da filha de três anos, repararam que havia uma janela aberta e uma pegada de adulto dentro de casa.

«Não há nenhuma maneira possível de ela se ter afastado sozinha», diz o pai de Chloe, Garth Campbell, citado pela Sky News. «Ela não se iria embora por si mesma», acrescenta.

Garth Campbell diz ainda que a família normalmente fecha as janelas à noite, mas que um dos fechos deve ter falhado e não trancou corretamente. «É por isso que nos estamos a culpar», revelou.

De acordo com a ABC.net, a polícia ainda não comentou as circunstâncias em torno do desaparecimento.