O parlamento de Espanha prepara-se para definir o estatuto a aplicar a Juan Carlos, que perdeu a inviolabilidade jurídica, depois de ter abdicado, e se confronta com um pedido de reconhecimento de paternidade.

«Ele já não é inviolável e, segundo a lei, somos nós que temos razão», disse à AFP o advogado Francesc Bueno, que representa Alberto Sola Jimenez, o qual, nascido em 1956 em Barcelona, afirma ser filho ilegítimo de Juan Carlos.

Com 76 anos, Juan Carlos anunciou a sua abdicação, em 02 de junho, deixando o trono ao seu filho, Felipe VI, de 46 anos, que tomou posse na quinta-feira.