A justiça tunisina decidiu hoje arquivar o processo por difamação e desacatos contra a ativista do grupo Femen Amina Sboui, mas a jovem tunisina vai continuar detida por acusações de posse ilegal de spray e profanação de cemitério.

A jovem tinha sido detida depois de ter publicado na Internet uma foto em topless em protesto pelos direitos das mulheres.

«O tribunal decidiu arquivar o caso contra Amina. É uma vitória, a justiça começou a compreender que ela foi acusada injustamente», disse o seu advogado, Ghazi Mrabet.

O advogado lembrou que a ativista enfrenta ainda acusações de posse ilegal de um spray de gás pimenta, incorrendo numa pena de prisão entre seis meses e cinco anos, e de profanação de cemitério e atentado à moral, que lhe pode valer uma pena de até dois anos de prisão se for considerada culpada.