O ministro dos Negócios Estrangeiros português afirmou esta segunda-feira que o convite das Nações Unidas ao Irão para o encontro de Genebra surpreendeu a oposição síria e que estes só participarão se Teerão «aceitar o legado» da conferência de 2012.

«O Irão foi um pouco inesperadamente convidado pelo secretário-geral da ONU para participar na conferência de Genebra II e isso suscitou uma reação dos moderados no sentido de saberem se o Irão irá aceitar o legado de Genebra I, porque, se não aceitar, os moderados dizem que não participarão», referiu Rui Machete.

O chefe da diplomacia portuguesa falava aos jornalistas em Bruxelas, à margem do Conselho de Negócios Estrangeiros.

Machete considerou que esta é «uma questão importante», que «nasceu nas últimas horas» e «não está ainda resolvida».

O Irão vai participar na conferência internacional sobre a Síria, que começa na quarta-feira, mas recusa quaisquer condições prévias, anunciou hoje a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros iraniano, Marzieh Afkham.

O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, anunciou no domingo ter convidado o Irão a participar na conferência, o que suscitou a indignação da oposição síria e advertências dos países ocidentais.