A infanta Cristina foi, nesta quarta-feira, formalmente acusada de corrupção pelo tribunal espanhol, que também acusou o seu marido, Iñaki Urdangarin de fraude fiscal e branqueamento de capitais.

O tribunal de Palma de Maiorca manteve as acusações contra a irmã do Rei Felipe VI, naquele que é um dos últimos passos antes do julgamento. O marido da infanta está acusado de desviar milhões de euros de dinheiros públicos.

A decisão faz parte do texto de 167 páginas que marca o final da fase de instrução do caso conhecido com Nóos, um dos que mais danificou a imagem da família real e da monarquia espanholas.

No texto, o juiz José Castro apela ao Ministério Público e às acusações particulares para que solicitem a abertura da instrução do julgamento, formulando por escrito a sua acusação num prazo de 20 dias.

A acusação do tribunal, que é passível de recurso antes do início do julgamento, acontece uma semana depois da coroação de Felipe, depois de Juan Carlos ter abdicado.