A ilha espanhola de El Hierro, nas Canárias, cresceu 5,7 centímetros nos últimos quatro dias, coincidindo com o aumento da sua atividade sísmica, informou o Instituto Vulcanológico das Canárias (Involcan), citado esta quinta-feira pela agência Efe.

Em comunicado, o Involcan refere que dados de deformação do terreno «não percetíveis às pessoas» e informação proporcionada pela atividade sísmica e dos gases confirmam que o processo de reativação magmática em El Hierro ainda continua.

Desde o fim da erupção submarina de La Restinga, que ocorreu entre outubro de 2011 e março de 2012, a ilha teve vários episódios de reativação sísmica associados ao mesmo processo vulcânico.

Um dos mais recentes aconteceu em março deste ano e chegou a elevar a ilha mais 11 centímetros no extremo ocidental, na ponta de Orchilla.

A partir da mais recente reativação sísmica, que aconteceu no domingo, as estações de posicionamento por satélite PINA e FRON registaram deslocações na vertical de, aproximadamente, 5,7 centímetros, assinala o Involcan.

Para os cientistas, os dados captados por antenas de referenciação por satélite, que têm capacidade para detetar deformações no terreno, com precisão de poucos milímetros na horizontal e inferior a um centímetro na vertical, são de grande importância para os programas de vigilância vulcânica.

No domingo, foram registados em El Hierro 49 movimentos sísmicos, quatro deles sentidos pela população, com uma magnitude máxima de 3.2 na escala de Richter, de acordo com dados recolhidos pelo Instituto Geográfico Nacional.