O apagão da Hora do Planeta chegou este sábado à Nova Zelândia, um dos primeiros países a inaugurar a campanha da organização internacional de conservação da natureza WWF contra as mudanças climáticas, que envolve mais de 150 países.



Às 20:30 locais (07:30 TMG) apagaram-se as luzes durante uma hora do Parlamento, museu de Auckland e da torre Sky Tower e em milhares de lares do país, noticia a Lusa.



Chris Howe, da WWF da Nova Zelândia, afirmou que os «kiwis» (como denominam popularmente os neozelandeses) vão ser os primeiros a aderir a este apagão, que se repetirá em milhares de cidades de todo o mundo, também às 20:30, no respetivo fuso horário.



A Hora do Planeta, que pretende deixar o mundo às escuras durante uma hora, tem a adesão de 94 cidades portuguesas, que vão apagar as luzes em monumentos e edifícios públicos, e de cidadãos, para defender a sustentabilidade da natureza.



Na edição deste ano, a terceira em Portugal, a organização internacional de conservação da natureza WWF volta a incentivar todos os países a desligar a eletricidade entre as 20:30 e as 21:30 deste sábado, e propõe uma atividade diferente.



Ao «apagão», junta-se a realização de uma mega aula de yoga em Lisboa e mais nove cidades portuguesas (Cascais, Oeiras, Santarém, Coimbra, Évora, Aveiro, Tomar, Portalegre e Batalha).



Em Lisboa, a aula, que será realizada à luz de velas e requer inscrição, será no jardim da Tapada das Necessidades, onde decorrem ações de animação a partir da tarde, com demonstrações de produtos sustentáveis e massagens, sendo esperadas, de acordo com a organização, cerca de duas centenas de participantes.



O vereador da Câmara Municipal de Lisboa, José Sá Fernandes, vai desligar o interruptor simbólico que marcará o início da Hora e, ao mesmo tempo, apagam-se as luzes do Santuário do Cristo Rei e da Ponte 25 de Abril, entre outros monumentos da cidade, como a Torre de Belém, o Padrão das Descobertas e o Mosteiro dos Jerónimos.

Entre os monumentos que também deverão aderir ao «apagão» estão os palácios de Monserrate, em Sintra, Mosteiro da Batalha, Castelo de Pombal, Caravela de Lagos, Castelo de Santa Maria da Feira ou Castelo de Bragança.



Para concretizar o princípio que defende, a WWF lançou uma plataforma de «crowdfunding» (financiamento popular de propostas, através da internet) com vários projetos em diversas regiões do mundo para apoiar pessoas, empresas ou comunidades.



Está previsto que este sábado sejam apagadas as luzes de monumentos como o Empire State Building, Tower Bridge, Castelo de Edimburgo, Portas de Brandenburgo, Torre Eiffel, Kremlin e Red Square, em Moscovo, Ponte do Bósforo que liga a Europa à Ásia, ou o edifício mais alto do mundo, o Burj Khalifa.



Em 2013, a Hora do Planeta foi comemorada por mais dois mil milhões de pessoas, em 154 países, de acordo com a WWF.