Os três anos de guerra civil na Síria forçaram mais de nove milhões de pessoas a deixarem as suas casas, criando a maior população de deslocados do mundo, afirmou hoje a ONU, descrevendo como «inconcebível» a continuidade do conflito.

«É inconcebível que uma catástrofe humana desta dimensão ocorra diante dos nossos olhos sem que haja qualquer indício de um significativo progresso para parar este derramamento de sangue», disse o alto comissário das Nações Unidas para os Refugiados, António Guterres, que a Lusa cita.

De acordo com um comunicado da agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), atualmente, com mais de 2,5 milhões de sírios registados ou à espera de registo como refugiados em países vizinhos, estima-se que os sírios ultrapassem, em breve, os afegãos, como a maior população de refugiados do mundo.