O Governo de Israel anunciou, esta quarta-feira, uma nova trégua humanitária na Faixa de Gaza que durará quatro horas.

A pausa nos bombardeamentos entrou em vigor à uma da tarde (15:00 em Israel), mas não irá abranger todo o território do enclave.

Segundo o «The Jerusalem Post», que cita um comunicado do exército israelita, a pausa na ofensiva não se aplica às zonas onde os militares estão a conduzir buscas por túneis secretos.

Já esta quarta-feira, o exército tinha avançado a descoberta de novos túneis, num dos quais foram mortos dois palestinianos que surgiram armados perante tropas israelitas.

Uma unidade da infantaria do exército também anunciou o abate de dez palestinianos que, alegadamente, lançaram um ataque «anti-tanque» e feriram dois soldados israelitas. O exército respondeu com um ataque aéreo que matou os 10 homens, quando tentavam fugir.

Outros cinco palestinianos terão sido mortos no sul de Gaza depois de terem sido apanhados a colocar explosivos.

O ministro da Defesa Israelita, Moshe Ya¿alon, afirmou, em comunicado, que a ofensiva militar vai continuar em força.

«Vamos continuar a utilizar toda a nossa força militar. Durante a última noite os ataques [a Gaza] continuaram extensivamente. Ao mesmo tempo continuamos, com bastante satisfação, com a campanha para lidar com os túneis dos terroristas, e continuamos a causar grandes perdas para o Hamas», afirmou, segundo o jornal israelita.