O Estado Islâmico anunciou este sábado ter morto o terceiro refém estrangeiro.

O processo terá sido idêntico. Uma decapitação gravada em vídeo, com o nome: «um aviso aos aliados dos americanos».

A vítima será desta vez o britânico, David Haines, de 44 anos, que foi raptado no ano passado, como recorda o jornal «The Guardian».

A autenticidade do vídeo ainda não está garantida, mas foi divulgado pela mesma fonte que confirmou a decapitação de Steven Sotloff.

Haines estava apenas há três dias na Síria quando desapareceu.

A confirmar-se, Haines será a terceira vítima de decapitação às mãos dos extremistas do Estado Islâmico, após a morte de Sotloff e James Foley.