A polícia alemã deteve, esta quinta-feira, três antigos guardas das SS dos campos de concentração de Auschwitz, em Baden-Württemberg, Alemanha. Os três homens têm 88, 92 e 94 anos e aguardam agora julgamento em Luisburgo.

Passados 69 anos da Segunda Guerra Mundial, os antigos guardas são acusados de homicídio a milhares de judeus. O mais novo, de 88 anos, admite ter passado pelo campo de concentração de Auschwitz, mas nega ter cometido qualquer crime.

Os três homens foram submetidos a exames médicos e enfrentaram um juiz que confirmou que podiam ser detidos no hospital da prisão, avança o «The Guardian», que cita um comunicado.

Desde 1969 que a lei obriga a existência de provas pelos crimes praticados pelos membros do Partido Nazi. Contudo, em 2011, a lei mudou e a Audiência Territorial de Munique condenou um antigo guarda do campo de concentração Sobibor, na Polónia. O detido acabou por morrer antes do julgamento, em março do ano passado.

Em setembro do ano passado, um antigo guarda Auschwitz, Hans Lipschis, foi colocado em liberdade após 7 meses na prisão, por incapacidade de responder perante a justiça. O que tem acontecido com a maior parte dos antigos membros do Partido Nazi, uma vez que têm mais de 90 anos.