O município da Columbia, na Carolina do Sul, Estados Unidos aprovou um plano para resolver o problema dos sem-abrigo a dormirem nas ruas da cidade, principalmente no centro.

Segundo escreve a revista «Time», a polícia irá convidar os sem-abrigo a mudarem-se para um abrigo fora da cidade. Quem não aceitar pode ser preso.

O plano denominado «Resposta de emergência para os sem-abrigo» foi aprovado na semana passada, em reunião de câmara. O elevado número de pessoas a dormir nas ruas do centro financeiro, conhecido como «Quarteirão 36», parece estar a incomodar as autoridades.

A partir de agora, a polícia vai poder pedir aos cidadãos que vivem nas ruas, que se desloquem para um centro nos arredores da cidade. Quem não aceitar poderá ser preso com base em várias leis como, por exemplo, «mendicidade, distúrbios na via pública, embriaguez, invasão de propriedade ou por urinar na via pública». Entre outras.

Mas, o plano não fica por aqui. Depois de chegarem ao abrigo, fora da cidade, não são livres de sair do mesmo. Só quando tiverem «coisas marcadas na cidade» e com bilhete de ida e volta na mão. Para garantir que os sem-abrigo não regressam ao centro, também vão ser colocados polícias em zonas estratégicas. A partir de determinadas ruas já não poderão circular.

Outra das críticas ao plano, prende-se com a dimensão e localização do abrigo. Apenas um espaço, sem capacidade para acolher todos os pobres de Columbia. Servirá menos de um sexto dos sem-abrigo.

A ideia de deslocar populações de pessoas que vivem nas ruas, não é inédita nos Estados Unidos. Mas mais nenhuma cidade tem um plano com estes contornos. No Havai e em São Francisco, por exemplo, os programas são voluntários e as autoridades também tentam reunir os vagabundos com as suas famílias. Quando eles existem e podem ajudar, escreve a «Time».

Advogados ligados à população dos sem-abrigo já fizeram saber que o plano não será implementado «sem luta» e querem levar o caso a tribunal. No entanto, há muitas habitantes de Columbia que concordam com a ideia.