A China enviou a segunda maior frota, a seguir aos Estados Unidos, para as maiores manobras navais do mundo, nas quais participa pela primeira vez, procurando um novo modelo de cooperação em matéria de defesa com Washington.

O contingente chinês inclui, entre outros, o contratorpedeiro «Haikou», a fragata de mísseis «Yueyang» e o navio-hospital «Arca da Paz», com o número de oficiais e soldados que participam nas manobras a ascender a 1.100 soldados, de acordo com a agência Xinhua.

Os exercícios navais, que arrancam hoje e se prolongam até 1 de agosto, contam com 47 navios, seis submarinos e mais de 200 aeronaves, a somar a 26 mil soldados provenientes de 23 países.