Um tribunal chinês condenou, esta quinta-feira, a dez anos de prisão o filho adolescente de um general por violar uma jovem com mais quatros amigos.

De acordo com a Agência France-Presse, Li Tianyi, de 17 anos, e outros quatro jovens foram declarados culpados de violar uma mulher num hotel de Pequim em Fevereiro.

O pai de Li Tianyi, de nome Li Shuangjiang, é um cantor do exército e tem patente de general. O caso despertou grande interesse no país, onde os filhos da elite, os chamados «Príncipes vermelhos», costumam levar uma vida de excessos pela impunidade que os contactos que têm lhes concedem.

Li Tianyi já esteve no centro de outro escândalo em 2011, quando ele e outro jovem aceleraram os luxuosos carros contra um casal que lhes bloqueava a passagem, perante o olhar dos filhos desse mesmo casal.

O pai de Li Tianyi é o diretor do departamento de música da Academia de Artes do Exército chinês, e é conhecido por cantar temas patrióticos. A mãe, Meng Ge, também é uma cantora famosa do Exército de Libertação.

O jornal «Beijing News» refere que durante as audiências em tribunal, Li Tianyi «não reconheceu a agressão sexual nem admitiu ter tido relações, dizendo que estava bêbado e que não se lembrava de nada».

Os outros quatro acusados foram condenados a entre três e 12 anos de prisão. O tribunal explica que dois dos adolescentes, com 15 anos, que participaram na violação, acabaram com pena suspensa por terem confessado o crime, demonstrado arrependimento e pedido perdão à vítima. O único adulto que também cometeu o crime foi condenado a 12 anos de prisão por também se ter mostrado arrependido e ter colaborado com a justiça.