Um autarca holandês declarou numa entrevista a uma rádio que Maria Putin, filha do presidente russo que se acredita que vive em Voorschoten com o namorado holandês, devia ser deportada do país na sequência do incidente com o voo MH17.

Pieter Broertjes, autarca da cidade de Hilversum, pediu mais tarde desculpa no Twitter, admitindo que as declarações «não foram sábias», mas ressalvando que «decorrem de um sentimento de impotência que muitas pessoas reconhecem».





A imprensa holandesa diz que o namorado de Maria, de 29 anos, é Jorrit Faassen, que já trabalhou na Gazprom, e que Putin visitou o casal no ano passado. O porta-voz do presidente russo negou essa informação, segundo o «The Guardian».

Segundo o «De Telegraaf», um grupo de ucranianos a viver na Holanda também convocou um protesto pacífico em frente ao apartamento de Maria Putin.

Vladimir Putin tem duas filhas, Maria e Yekaterina, das quais se sabe muito pouco, não havendo mesmo imagens delas como adultas.



Recorde-se que a maioria das vítimas do voo da Malaysia Airlines que foi abatido na Ucrânia eram holandesas.